AS TÉCNICAS

As técnicas de dramatização utilizadas para o desenvolvimento das respectivas habilidades socioemocionais são reconhecidas internacionalmente e pensadas tanto para profissionais da área da educação quanto para os alunos. Na socionomia, um dos colaboradores de Moreno identificou mais de 300 técnicas, e estas devem ser aplicadas conforme a matriz de identidade dos indivíduos do grupo.

ROLE TAKING

Fase I - Identidade do Eu

Valendo-se de brincadeiras e da tomada de papéis, o professor percebe em seus alunos o desempenho de seus papéis e seu processo de aprendizagem, que pode começar apenas por imitação (role taking). Nessa fase os alunos ainda não se conhecem, por isso há que utilizar jogos que os aproximem gradualmente.

ROLE PLAYING

Fase II- Reconhecimento do Tu

Nessa fase os participantes começam a se diferenciar e a reconhecer a existência de outros alunos, conseguindo jogar papéis (role playing). É considerada a fase do espelho, em que o aluno se espelha em relação ao outro.

ROLE CREATING

Fase III- Reconhecimento do Tu

Nessa fase os alunos já constituem um grupo, quando há um “nós” que permeia as relações entre os membros do grupo.

TOMADA DO PAPEL

A técnica da tomada do papel, precedida da inversão de papéis, é capaz de organizar o mundo do sujeito, ou seja, reordenar sua matriz de identidade, as partes do eu total: o papel psicossomático representado pelo corpo, o papel psicodramático representado pela psiquê e o papel social representado pela sociedade, formando o triênio corpo – psique – sociedade.